segunda-feira, 10 de julho de 2017

Florianópolis, SC, vai sediar
IX edição do Prêmio Literarte
                           Evento terá lançamentos de livros, apresentações de dança e música. 

A cidade de Florianópolis, capital de Santa Catarina, vai sediar na próxima sexta-feira (14), a IX edição do Prêmio Literarte. A programação do evento conta com lançamentos de livros, apresentações de dança, música lírica, além da cerimônia de gala para a entrega do Troféu Melhores do Ano, que homenageia escritores, artistas e profissionais que se destacaram em suas respectivas áreas de atuação.

A cada ano, o evento é realizado em uma capital diferente. No ano passado, a cidade de Curitiba, no Paraná, foi à escolhida para receber o Prêmio Literarte. “Escritores e artistas de diferentes lugares do país serão homenageados. Além da programação que está sendo divulgada, teremos também muitas surpresas”, adiantou a presidente da Literarte, Izabelle Valladares.

“Com este prêmio, a Literarte reconhece, distingue, e premia a quem se destaca na sociedade com excelência na gestão de suas carreiras, contribuindo assim efetivamente para o desenvolvimento cultural e, consequentemente, socioeconômico do país”, finaliza Izabelle.

Com sede em Cabo Frio, no litoral do Rio de Janeiro, a Literarte tem correspondência em 18 países. A entrega do Troféu Melhores do Ano tem o objetivo de destacar os trabalhos de literatura, mídia, música e artes em geral, dentro dos seus critérios de criatividade, perspicácia, adequação, e equilíbrio. 

Veja a programação
Sexta-feira (14)
15h30 - Lançamento da Revista Literarte, e de diversos livros, na Biblioteca Pública Municipal Professor Barreiros Filho;

18h – Exposição de quadros no hall de entrada da Assembleia Legislativa;

19h30 – Cerimônia de gala, aberta ao público, para a entrega do Troféu Melhores do Ano, na Assembleia Legislativa;

EM 2016, O EVENTO ACONTECEU EM CURITIBA.jpg
EM 2016, O EVENTO ACONTECEU EM CURITIBA.jpg

IZABELLE VALADARES, PRESIDENTE DA LITERARTE.jpg
IZABELLE VALADARES, PRESIDENTE DA LITERARTE.jpg

quarta-feira, 31 de maio de 2017

EDITAL DO XIº CONCURSO POESIARTE DE POESIA




XIº CONCURSO POESIARTE DE POESIA

REGULAMENTO

1. Participantes:

1.1. Qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro, sendo que os poemas inscritos estejam em língua portuguesa.

1.2. A idade mínima para participação do concurso é de 12 anos.

2. Período de inscrição:

2.1. Início: 03 de abril de 2017.
Término: 30 de junho de 2017.

2.2. As inscrições serão feitas por via e-mail. Serão só aceitas as inscrições até a data limite (30 de junho ) para: poesiarte@hotmail.com

3. Categoria:

3.1. Poesia – 1 (uma) por concorrente, com máximo de 3 (três) laudas (folhas).

3.2. Os participantes poderão enviar sua poesia sem precisar de um padrão específico poético, ou seja, poderão enviar em forma de soneto, haicai, trova, elegia, poetrix, etc.

4.Tema: “CIDADE INVISÍVEL: MORADORES DE RUA”.

4.1. O objetivo do tema é estimular a criatividade dos participantes, levando-os a uma reflexão para vida neste século.

5. Textos:

5.1. Deverão ser escritos em língua portuguesa (idem ao item 1.1), digitados em página branca tamanho A4, utilizar fonte Arial ou Times New Roman tamanho 12 e espaço 1,5.

5.2. Não serão aceitos trabalhos manuscritos. (ver item 3.1)

5.3. Os trabalhos deverão ser inéditos, isto é, ainda não publicados em nenhum meio de comunicação ou em livro e principalmente por sites ou blogs na internet.

5.4. Os textos deverão conter exclusivamente o título da obra e o pseudônimo do autor.

5.5. Os pseudônimos não deverão guardar qualquer semelhança com o nome, apelido ou outro fator de identificação do concorrente, pois se houver o inscrito será eliminado.

5.6. Não serão aceitas inscrições de paródias ou paráfrases.

5.7. Casos de plágios serão denunciados pela organização do concurso.

6. Apresentação dos trabalhos por via e-mail deverá seguir o modelo abaixo da ficha de inscrição:

*Segue o modelo de ficha de inscrição:

Nome completo;
Cidade de origem:
Data de nascimento completa:
Cidade que representa:
Atividade que ocupa:
Título do poema:
Pseudônimo:
E-mail:
Endereço postal:

6.1. Caso o inscrito não preencher devidamente o formulário acima não estará qualificado para o certame do concurso.

6.2. Os trabalhos que não obedecerem às regras deste concurso serão automaticamente desclassificados.

6.3. Os poemas enviados por via e-mail deverão estar em documento Word, seguindo as especificações do item 5.1.

6.4. Não serão aceitas inscrições através de PDFS ou digitalizações.

7. Julgamento:

7.1. O corpo de jurados será formado por profissionais da área, altamente qualificados pela Comissão Organizadora do Concurso, que serão conhecidos e apresentados brevemente no blog:


7.2. As decisões do júri são soberanas e irrecorríveis.

7.3. Serão ainda critérios para o julgamento das obras inscritas:

a) Vocabulário.
b) Conotação (uso de figuras de linguagem).
c) Ritmo.
d) Intertextualidade.
e) Criatividade.

7.4. Cada item acima valerá 20 pontos, o somatório de todos os itens é de 100 pontos.

7.5. Serão 06 (seis) jurados para 1ª etapa, onde sairão 10 finalistas para etapa final; outros 06 jurados farão suas avaliações e irão comentar cada obra finalista, dando o resultado final após o somatório dos pontos.

7.6. Manter o texto dentro das dimensões propostas no Regulamento.

7.7. Não serão aceitos trabalhos fora do tema estipulado.

7.8. Trabalhos com menções pornográficas, preconceituosas (cor, raças, sexo, religião, etc) serão automaticamente eliminados pelo júri.

7.9. A comissão organizadora decidirá sobre as omissões deste regulamento, depois de ouvida a opinião do júri.

8.Divulgação dos resultados:

8.1. A divulgação dos poemas inscritos com os seus pseudônimos será feita através do blog do concurso.

8.2. O resultado da 1ª etapa, que divulgará os finalistas será no dia 11 de julho de 2017.

8.3. O resultado final do concurso será no dia 18 de julho de 2017.

8.4. Tudo será divulgado no blog do concurso.

8.5. Caso ocorra atrasos nos resultados as datas serão modificadas e os inscritos saberão através do blog.

9. Premiação:

9.1. O primeiro colocado receberá um diploma, dois livros e medalha.

9.2. O segundo colocado receberá um diploma, um livro e medalha.

9.3. O terceiro receberá um diploma, um livro e medalha.

9.4. Caso no decorrer do concurso a comissão organizadora possa adquirir patrocínios, os prêmios serão mais pomposos com a realidade do concurso.

9.8. Não será permitido empate.

10. Disposições Gerais:

10.1. Honestidade, transparência e simplicidade são as marcas deste Projeto que no ano de 2017 fará 15 anos.

10.2. O PROJETO POESIARTE se reserva no direito de publicar os poemas dos três primeiros colocados no blog do concurso, ficando explícito que o ato de inscrição através da ficha implica em autorização para publicação.

10.3. Os autores dos poemas publicados serão automaticamente avisados por via e-mail.

Cabo Frio, 01 de abril de 2017.

Rodrigo Octavio Pereira de Andrade (Rodrigo Poeta)
Coordenador e idealizador do Concurso POESIARTE

APOIO:

Jornal Noticiário dos Lagos
ABRAONG de São Paulo-SP
Portal Árabe Alto Tietê-SP.



quarta-feira, 26 de abril de 2017

HÁ ALGO DOCE EM ME PERDER NO TEU OLHAR

Há algo doce em me perder no teu olhar – ou nas lembranças do teu olhar que insistentemente permeiam as horas do meu dia. Há algo de dolorido em me perder pelos teus olhos, algo como uma falta de ar permanente, um sinal indicando o perigo de adentrar através desse portal que são teus olhos nesse labirinto de luz que é tua alma. E eu não me importo por me afogar num mar de angústia se este for o preço de ficar perdida em você… Você olha para mim e diz “olá” sem ao menos saber a tormenta que se instala aqui dentro de mim. Garoto, você é tão brilhante que ofusca o sol e faz dos meus dias um verdadeiro mar de luz e cores – ainda que não esteja aqui, ainda que nunca esteja aqui, ainda que não saiba o quanto eu queria que estivesse aqui.  E entre o tempo que passa entre as vezes em que nos encontramos por aí, fica sempre a lembrança, o sonhar, a vontade de te encontrar caminhando pelos jardins na praia ou em qualquer outro lugar. Fica a promessa feita a mim mesma diante do espelho de que na próxima vez que te encontrar, tentarei  sorrir e conversar contigo. Ou a promessa de que eu não irei mais te encontrar, nem me perder e me achar naquele brilho todo – o medo silencioso daquela angústia deliciosa e da certeza de que você jamais iria me notar. Garoto misterioso, eu realmente não sei quase nada sobre você, nada além do teu nome e do som da tua voz. E isso já é suficiente para quebrar todas as minhas defesas e me fazer perdida em devaneios que eu não deveria ter.
(Da série devaneios tirados do fundo da gaveta – 2013)
Texto: Darlene Regina Faria

domingo, 16 de abril de 2017

Poesia By Sulla Mino --> Amor Cristalino






AMOR CRISTALINO
 
Esse amor cristalino
que chegou na tarde branda de domingo,
no seu cavalo branco,
com suas doces palavras...

De repente, trouxe-me à vida,
um modo de sonhar diferente,
de viver intensamente
as noites frias do meu próprio inverno.

Percebo.
É apenas um sonhar?
Uma dor  fina  presa no peito, na sofreguidão.
Estou abstrata e não tenho mais medo do amor.

E pude adormecer...
Nas tardes tranquilas do meu pensamento,
e tudo o que era incógnita se tornou brando
feito as águas frias do rio do meu paraíso.

E tornei-me uma moça tranquila,
amável com minhas ideias e amigável com meus sentimentos.
Sim, me tornei amante dele e ele de mim.
E o amor cristalino reina em nós.

CANÇÃO DO PASSARINHO





CANÇÃO DO PASSARINHO
(Dora Estrela )

Meu amigo passarinho,
pousa aqui na minha casa,
faz de conta que sou ninho
e descansa as tuas asas.

Cura o meu amargo pranto
uma doce canção me oferta,
Acalenta com o teu canto
minha alma triste de poeta.

domingo, 19 de março de 2017

Tardes de Segunda Feira

O mundo parece desfazer-se em preguiça. Segunda-feira. O dia em que todos queriam mais algumas horinhas de domingo. Só eu pareço funcionar ao contrário. Nas últimas horas de domingo, já estou contando os momentos para que cheguem as primeiras horas de segunda feira.  Eu continuo sem saber quem você é. E continuo tendo um medo terrível de tentar saber. Só sei que quando você me cumprimenta algo aqui dentro se aquece.  E é por isso que minhas segundas feiras são tão belas, porque eu sei que irei encontrar você e sentir esse furacão de sentimentos confusos que o teu olhar desperta em mim. São finais de tarde que rapidamente se transformam em inícios de noites estreladas onde os astros celestes disputam minha atenção com a lembrança luminosa da tua presença.
(As Cartas que você não leu – escrito em algum mês de 2013)
Imagem: Internet

domingo, 12 de março de 2017

O perigoso brilho dos teus olhos

"Há um momento na vida em que parece que tudo virou de ponta cabeça! Não é possível determinar com exatidão qual foi a hora, minuto ou segundo em que isso aconteceu simplesmente porque estamos tão preocupados em juntar nossos próprios cacos, tão atarefados resistindo ao temporal  que deságua, tentando nos equilibrar em meio ao terremoto que ocorre que nem pensamos em coisas simples como olhar o relógio. Só sabemos que aconteceu. Algo forte e sem nenhuma lógica. De repente você cruza o olhar com alguém e é como se todas as suas defesas estivessem ruindo. Uma angústia. A vontade de se aproximar e a vontade de fugir e não voltar nunca mais.  Isso pode acontecer com quem já se conhece há anos, e pode acontecer como aconteceu hoje: Eu nem sei quem você é, mas no momento em que entrei naquela sala, senti que toda a proteção que construí ao longo do tempo se quebrou. Eu não sei quem você é, mas sei que teus olhos são de um brilho perigoso.  Perigoso em doçura, mistério e certo ar de melancolia. Perigoso ao quebrarem minhas defesas, ao incendiarem as folhas secas que encobriam meu coração. Olhar perigoso que inundou minha alma de lágrimas sem eu saber o porquê. Eu não sei quem você é e tenho medo de descobrir e me perder ainda mais. Eu não sei quem você é, mas sei que teus olhos me marcaram. Pra sempre."
(Texto: Darlene Regina Faria – 2013)

sexta-feira, 3 de março de 2017

Limite

Eu te amo, é uma coisa inevitável. Sou louca por você.
Deixo meus sonhos para sonhar os seus,
Esqueço meus problemas para resolver os seus,
Me coloco em segundo plano em minha própria vida
Para viver a tua.

Não quero dinheiro, nem fama,
E muito menos status.
Quero amor.
Custa me amar um pouco que seja?
Custa dizer que sou linda e que não vive sem mim?

Preciso de amor, mas não consigo amar por nós dois
Preciso se a prioridade de alguém,
Preciso me sentir segura,
Pois na maioria das horas, sinto meu mundo aos poucos,
Desabar.

Quero teu beijo, teu abraço.
Quero teu cheiro em mim.
Teu corpo no meu.
E principalmente seu coração.

Não suporto mais ouvir ofensas
Saindo da mesma boca que quero beijar.
Nem ironia,
Nos olhos que deveriam me confortar.

Não sei o quanto mais vou aguentar
E sozinha não vou conseguir salvar o nosso amor.